Posts Marcados Com: roteiro

Kennedy Space Center

Saímos de Miami perto das 6:00h da manhã com destino ao Kennedy Space Center, em Cabo Canaveral, próximo a Orlando. Depois de 217 milhas, chegamos por volta das 10:00h da manhã, bem na hora da abertura a visitantes. Era domingo de Páscoa e várias famílias chegavam para passar o dia nesse lugar.

O Kennedy Space Center é a base da NASA, o local de onde são lançados os foguetes, ônibus espaciais e afins. Também abriga toda uma infra-estrutura preparada especialmente para receber o turista. Vamos lá!

Chegando lá, estacionamos e nos dirigimos à entrada do complexo. Como nós compramos pela Internet, pudemos passar direto pela bilheteria e nos dirigir à porta de entrada, apresentando lá o comprovante de compra impresso e os documentos (fica a dica: nós não sabíamos e perdemos tempo na fila até sermos atendidos no guichê…)

Feito isso, entramos no Visitor Complex. Como compramos o ingresso standard (o mais barato), tínhamos direito a um passeio de ônibus pelas instalações, visitação livre no Visitor Complex e entrada para o Memorial dos Astronautas. Existe a possibilidade de comprar um tour maior, conhecendo mais instalações da NASA ou ainda tomar um café da manhã com astronautas (mediante agendamento). Bom, resolvemos ficar com o nosso passeio padrão mesmo. Embarcamos no ônibus, que saem a cada 30 minutos do Visitor Complex.

O ônibus sai do complexo e entra na área restrita da NASA (que mais parece uma fronteira: uma cancela, os federais fazendo a segurança, aquela coisa toda…). Essa área restrita é MUITO grande, acho que o ônibus percorre uns 15 minutos a uma boa velocidade, até que chegamos à primeira parada: uma estação de lançamento de foguetes desativada. Nesse lugar, existe um pequeno auditório onde se pode conhecer sobre a logística de deslocamento e lançamento de um ônibus espacial. Logo depois, todos vão para a sala ao lado ver em uma maquete a simulação de um lançamento. Logo depois, os visitantes podem subir na estação, ver de perto um motor de foguete em tamanho real e avistar de um mirante o quão grandiosa é a estrutura do local.

Depois disso, voltamos ao ônibus: mais um longo passeio pelas instalações da NASA. É possível avistar as fachadas dos prédios de dentro do ônibus, bem como alguns veículos de transporte de foguetes e até mesmo o ônibus espacial Discovery! Quer dizer, este não mais, pois uma semana depois de nossa visita, ele foi transportado para um museu da NASA em Washington. O que é importante destacar nos passeios de ônibus pelo Kennedy Space Center é que o próprio motorista é o guia, que vai narrando tudo pelo sistema de som. De todos, acho que é o passeio que mais exige fluência e concentração no idioma para entender tudo o que eles dizem.

Então chegamos ao ponto alto da visita: o Apolo Saturn V Center. Esperamos cerca de 15 minutos do lado de fora de uma porta. Enquanto esperamos a sua abertura, um placar eletrônico contextualiza os visitantes com números, curiosidades e acontecimentos das décadas de 50 e 60: estamos prestes a entrar num túnel do tempo, bem no meio da Corrida Espacial!

Bom, quando as portas são abertas, entramos em uma sala que conta a história da Corrida Espacial e da participação do presidente Kennedy nesta história: em resumo, ele abriu os cofres e colocou como objetivo que o homem chegasse à Lua e retornasse à Terra em segurança até o final da década de 60. Não estava vivo para ver “o gigantesco salto para a humanidade” em julho de 1969, mas com certeza proporcionou as condições para um dos grandes momentos do “Orgulho Americano”. Aliás, pudemos observar poucos “gringos” neste passeio. Nenhum brasileiro identificado, realmente uma raridade… Nos pareceu um típico “passeio da família americana”, o que explica porque é o lugar onde o inglês é mais exigido.

Bom, logo depois somos levados a uma platéia em formato de arquibancada. À nossa frente, a sala de controle das missões Apolo. Assistimos a uma simulação de lançamento de um foguete e um pouco da história das missões e da Corrida Espacial como um todo. Após a apresentação deste belo espetáculo, abrem-se as portas para um grande galpão, onde é possível conhecer réplicas dos foguetes em tamanho real, detalhes dos painéis de controle, das roupas dos astronautas, recortes de jornais da época e todo tipo de curiosidade referente às missões Apolo. Também é neste lugar que está o principal restaurante, na verdade um fast-food com um número relativamente grande de opções. Almoçamos ali mesmo.

O interessante do passeio é a questão do deslocamento: como os ônibus circulam o dia todo, você pode ficar quanto tempo quiser em uma atração e depois pegar a fila para o próximo ônibus. Após a visita ao Apolo Saturn V Center, voltamos ao complexo de visitantes. Demos uma volta do Rocket Garden, o “jardim dos foguetes” na parte externa do complexo, visitamos um museu de veículos de transportes, sondas e afins e fomos até o simulador de decolagem de um ônibus espacial: se você não tiver problemas de ficar a 90 graus do chão, ou de ponta cabeça, vale a pena conhecer!

No complexo de visitantes ainda há outra opção de restaurante, para quem não quis comer no meio do passeio. E também não podia faltar uma lojinha de lembranças do local. É possível comprar até mesmo uma roupa de astronauta (pode ser muito útil em uma festa a fantasia…)! Porta-retratos, chaveiros, ímãs de geladeira e outras “utilidades” também fazem parte do cardápio.

Por conta do cansaço, acabamos não visitando o cinema 3D e nem o Memorial dos Astronautas, que fica em outro prédio, já pegando a estrada para voltar a Orlando. Também não pudemos conhecer a área destinada ao ônibus espacial Atlantis, já que ainda não havia sido inaugurada. Esses pontos ficam para a próxima visita!

Em resumo, é um passeio diferente que vale a pena, especialmente se você tem curiosidade para conhecer um pouco do Orgulho Americano e da história recente, saindo um pouco da coisa lúdica e do “mundo de sonho e fantasia” que nos espera na Flórida. Recomendamos!

Categorias: A viagem, Dicas, Parques | Tags: , , , , , , , , , , | 2 Comentários

Dirigindo na Flórida – parte 2: Pé na estrada

Continuando as dicas do post anterior, é hora de pegar a estrada! O trecho que fizemos em estrada foi de Miami a Orlando. Como sabíamos que seria uma longa viagem (234 milhas – cerca de 380 km), resolvemos otimizar com o passeio ao Kennedy Space Center, no Cabo Canaveral, no meio da viagem. Este passeio será tema de um dos próximos posts.

Saímos de Miami às 6:00h da manhã para chegarmos ao Kennedy Space Center perto das 10:00h, com direito a 2 paradas no caminho. Aí está o mapa do itinerário dessa viagem:

Como é possível perceber pela estimativa do Google Maps, não é uma viagem curta, mas também não tem muitos segredos não, levando-se em conta a estrutura viária norte-americana e os itens que mencionei no post anterior (carro automático com GPS). Vamos às dicas:

5. Esteja descansado e/ou divida o volante: 4 horas de viagem, um carrão automático, ar condicionado, piloto automático, estrada perfeita, nenhuma subida ou descida e poucas curvas. Pra quem está acostumado às estradas “com emoção” do Brasil, isso na verdade é um grande tédio. E é aí que mora o perigo!  São muitas milhas sem ter absolutamente nada pra fazer, então pense bem nisso antes de pegar a estrada: descanse bem na noite anterior, programe paradas no caminho e reveze ao volante (é importante ter cadastrado motoristas adicionais oficialmente na hora do aluguel do carro e estes portarem CNH na validade)

6. Respeite os limites de velocidade: a cada trecho da estrada, existem placas informando os limites de velocidade. Eu lembro de ter visto placas de 55 a 75 milhas por hora (mph). O GPS que estávamos também trazia a informação de velocidade máxima, à medida que sofria alterações. Como eu não tinha a menor ideia de onde estavam espalhados os radares por lá e também não estava disposto a ter surpresas desagradáveis no meu cartão de crédito no retorno, respeitei todas as placas de limite de velocidade e recomendo! 😉

7. Pagando pedágio – Toll: como eu disse no post anterior, desative a opção “rotas sem pedágios” do seu GPS quando pegar a estrada. É capaz de existir um caminho para ir de Miami a Orlando sem pedágios, mas você vai demorar muito, mas MUITO mais tempo pra chegar, recomendo pegar a estrada pedagiada mesmo. Existem praças de pedágio nos Estados Unidos exatamente iguais às daqui, onde você pára, paga em dinheiro ao atendente e sai. Porém, na estrada Miami-Orlando, existe um pedágio em que você paga por milha rodada. É bem interessante o sistema: quando você entra na estrada, existe um pedágio onde você pega um ticket informando data, hora e local. Quando você sair da estrada, existe outro pedágio, você entrega este ticket e o atendente calcula o valor a ser pago.

Importante 1: Tenha dólares em espécie para os pedágios (nunca é demais lembrar…). Não me lembro exatamente o valor dos pedágios, mas tenha pelo menos uns $40,00 reservados para a viagem.
Importante 2: Existe uma opção de cobrança automática chamada Sunpass. Quando viajei para lá (abr/12), era tão opcional quanto o Sem Parar daqui, ou seja, existiam cabines exclusivas para os usuários de Sunpass e outras de cobrança manual. Porém, há lugares em que não há mais cabines de cobrança manual, caso você não tenha o serviço ativado, seu carro será multado quando passar no pedágio. Informe-se com a agência de viagem ou com a locadora de carros: todas oferecem esta opção. Veja mais no site do Sunpass.

 

8. Enjoy the ride! Esse post não se limita às dicas “chatas, porém necessárias”. Veja um pouco do que você pode encontrar nessa viagem e aproveite com segurança!

Categorias: A viagem, Dicas, Dirigindo | Tags: , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Ah, a América…

Já de volta da viagem à Flórida, falo por mim: fiquei encantado com a América! Com certeza, pra mim esse foi o destino de viagem mais incrível!

Foram 10 dias de  compras, parques, passeios e curtindo uma pitada da cultura americana, do tal do American Way of Life. Tudo isso com direito a um bocado de aventuras, seja com experiências para entender e ser entendido no idioma, no trânsito, ou tentando não passar por jacu em alguma outra situação típica americana… com certeza, história pra contar não falta 😉

Bom, o roteiro da nossa viagem foi o seguinte:

Dia 01) Embarque em SP – Escala no Panamá – Chegada a Miami – Aluguel do carro – Entrada no hotel – Passeio no shopping – Jantar
Dia 02) Compras no Sawgrass Mills – Jogo da NBA (Miami Heat) – Passeio na Ocean Drive
Dia 03) Passeio à praia em Fort Lauderdale – Compras no Sawgrass Mills – Arrumar malas para a viagem
Dia 04) Saída de Miami – Visita ao Kennedy Space Center (NASA) – Chegada em Orlando – Entrada no hotel – Compras
Dia 05) Visita aos parques da Universal: Islands of Adventure e Universal Studios
Dia 06) Viagem a Tampa – Visita ao parque Busch Gardens
Dia 07) Visita ao parque Sea World
Dia 08) Visita aos parques da Disney: Hollywood Studios e Magic Kingdom
Dia 09) Nova visita aos parques da Universal: Universal Studios e Islands of Adventure
Dia 10) Viagem Orlando/Miami – Devolução do carro – Embarque em Miami – Escala no Panamá – Chegada a São Paulo

Neste blog, vou contar em detalhes como foi cada parte dessa viagem incrível e dando algumas dicas de como aproveitar melhor a sua viagem, mas já adianto que eu recomendo! Vou deixar uma das imagens clássicas deste passeio como aperitivo.

Até mais!

Castelo da Cinderela no Disney's Magic Kingdom

Categorias: A viagem | Tags: , , , , , | Deixe um comentário

Data marcada!

Demorei, mas voltei com novidades: data marcada, roteiro definido: Saída em 5 de abril com chegada em Miami onde ficamos 3 noites, depois mais 6 noites em Orlando e chegamos de volta ao Brasil em 15 de abril.

A expectativa está bem alta para essa viagem. Como PLANEJAMENTO é meu sobrenome (aham!), já estamos comprando o que é possível comprar antecipado. Aos poucos, vamos postando o roteiro, os passeios e as dicas de viagem (espero que com um pouco mais de frequência agora).

Bom carnaval a todos!

Categorias: Uncategorized | Tags: , , | Deixe um comentário

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.