NBA – parte 1: da compra do ingresso à entrada no ginásio

Eu sempre tive vontade de assistir a um jogo da NBA ao vivo. E eis que o nosso primeiro grande passeio no roteiro da viagem foi assistir a um jogo do Miami Heat no American Airlines Arena!

A temporada regular da NBA começa em meados de outubro e segue até meados de abril, a partir daí começam os playoffs por conferência (Leste e Oeste) até o playoff final em junho que define o campeão da temporada.  Portanto, se você pretende viajar para a Flórida neste período, pode incluir um jogo do Orlando Magic ou do Miami Heat na programação dos seus passeios. E, como a NBA é uma liga muito organizada, você consegue saber com muita antecedência quais serão as datas e horários de jogos, e inclusive comprar seu ingresso pela Internet.

1. Compra dos ingressos

Como nós já tínhamos definido as datas da nossa viagem e os dias que passaríamos em Miami e em Orlando, achamos que seria melhor comprar ingresso para um jogo em Miami, já que em Orlando o tempo seria curto, graças aos passeios nos parques e tal. Acho que, no nosso caso, foi a melhor decisão.

Para comprar os ingressos, é necessário ir até o site da NBA e clicar em Tickets. A partir daí, você pode escolher de qual time comprar seus tickets. O que pudemos perceber é que o site do Orlando Magic é mais voltado para o turista, enquanto o do Miami Heat é voltado realmente ao fã de basketball. Também, acredito que por conta das estrelas que jogam em Miami, os ingressos são um pouco mais caros do que do Orlando Magic. Isso é um ponto importante: cada time define qual o valor dos seus ingressos, não existe uma tabela padrão, então é importante pesquisar no site antes de fazer as previsões de gastos da viagem.

Pois bem, no site da NBA, em tickets, escolha por conferência, por equipe e você será redirecionado para a página de vendas. A partir daí, escolha o setor e o lugar (isso, você define o lugar em que vai sentar pra ver o jogo!) e finalize a compra.

Para compras de estrangeiros, a única opção é a identificação pelo cartão de crédito. Ou seja, imprima o recibo de compra e leve o cartão usado no pagamento para entrar no jogo.

Em tempo, decidimos comprar ingresso para o jogo Miami Heat x Memphis Grizzlies, no dia 06/04. Pegamos no 4o. andar, os ingressos mais baratos, em torno de 70 dólares cada, já com as taxas.

2. Chegada e estacionamento

Quem está acostumado a ver jogos no estádio no Brasil, sabe que nas proximidades vai encontrar uma série de flanelinhas cobrando um absurdo pra deixar estacionar na rua.

A diferença é que por lá a coisa é um pouco mais organizada. Primeiro você vê umas pessoas segurando placas de $10 e a medida que se aproxima do ginásio o valor aumenta de $5 em $5, o mais caro que consegui identificar custava $25. No final, pagamos $20 para parar em estacionamento fechado e aparentemente seguro.

3. Entrando no ginásio

Andamos umas 2 quadras e chegamos ao American Airlines Arena. Muitas pessoas e algumas filas nas bilheterias.

Para quem comprou pela Internet, é necessário somente apresentar o papel impresso e o cartão de crédito diretamente na entrada, sem precisar pegar fila. Achei bem prático isso. Você recebe um ticket pra indicar seu lugar, a partir daí é só passar pela revista e entrar. Mas isso já é assunto pra parte 2…

Este é o ticket “Seat Locator”, que acaba virando uma lembrança do jogo:

Ticket de localização de assentos

Categorias: A viagem | Tags: , , , , , , , , , , , , , , | 35 Comentários

Ah, a América…

Já de volta da viagem à Flórida, falo por mim: fiquei encantado com a América! Com certeza, pra mim esse foi o destino de viagem mais incrível!

Foram 10 dias de  compras, parques, passeios e curtindo uma pitada da cultura americana, do tal do American Way of Life. Tudo isso com direito a um bocado de aventuras, seja com experiências para entender e ser entendido no idioma, no trânsito, ou tentando não passar por jacu em alguma outra situação típica americana… com certeza, história pra contar não falta 😉

Bom, o roteiro da nossa viagem foi o seguinte:

Dia 01) Embarque em SP – Escala no Panamá – Chegada a Miami – Aluguel do carro – Entrada no hotel – Passeio no shopping – Jantar
Dia 02) Compras no Sawgrass Mills – Jogo da NBA (Miami Heat) – Passeio na Ocean Drive
Dia 03) Passeio à praia em Fort Lauderdale – Compras no Sawgrass Mills – Arrumar malas para a viagem
Dia 04) Saída de Miami – Visita ao Kennedy Space Center (NASA) – Chegada em Orlando – Entrada no hotel – Compras
Dia 05) Visita aos parques da Universal: Islands of Adventure e Universal Studios
Dia 06) Viagem a Tampa – Visita ao parque Busch Gardens
Dia 07) Visita ao parque Sea World
Dia 08) Visita aos parques da Disney: Hollywood Studios e Magic Kingdom
Dia 09) Nova visita aos parques da Universal: Universal Studios e Islands of Adventure
Dia 10) Viagem Orlando/Miami – Devolução do carro – Embarque em Miami – Escala no Panamá – Chegada a São Paulo

Neste blog, vou contar em detalhes como foi cada parte dessa viagem incrível e dando algumas dicas de como aproveitar melhor a sua viagem, mas já adianto que eu recomendo! Vou deixar uma das imagens clássicas deste passeio como aperitivo.

Até mais!

Castelo da Cinderela no Disney's Magic Kingdom

Categorias: A viagem | Tags: , , , , , | Deixe um comentário

Certificado internacional de vacinação contra febre amarela

Em um post anterior, eu tinha dito que a documentação para a viagem estava completa. Pois é, não estava.

Na verdade, como a gente vai voar de Copa Airlines, o voo terá conexão no Panamá. Para viagens de brasileiros ao Panamá, há necessidade de apresentação do Certificado Internacional de Vacinação contra Febre Amarela. Embora existam controvérsias sobre a necessidade neste caso, pelo tempo da conexão ser de poucas horas, achei melhor não arriscar e providenciar o meu certificado.

Para isso, é necessário:

  1. Tomar a vacina no posto de Saúde
  2. Fazer um pré-cadastro no site da Anvisa (se você não fizer, eles não vão te atender no posto)
  3. Comparecer com RG e comprovante de vacinação em um dos Centros de Orientações a Viajantes da Anvisa (em alguns desses locais é possível tomar a vacina e emitir o certificado no mesmo local)

Como eu já havia tomado a vacina em dez/2002 e a validade é de 10 anos, pude usar a minha carteirinha de vacinação para obter o certificado (evitando assim encarar uma nova agulha). Achei muito fácil o tal do pré-cadastro no site da Anvisa. Depois, fui até o centro de orientações no Aeroporto de Congonhas, acho que em meia hora eu já estava com o certificado na mão. Como meu certificado vale só até dez/2012, no final do ano lá vamos nós de novo!

PS: Se engana quem pensa que eu não tomei outra vacina porque tenho medo de agulha! Na verdade eu fui até um posto de saúde, mas a enfermeira se recusou a dar a injeção: disse que, caso eu tome a vacina em período menor que 10 anos, eu posso contrair a doença. Ou seja, BEM diferente do caso do cidadão abaixo:

Categorias: A viagem | Tags: , , , , , , | Deixe um comentário

Data marcada!

Demorei, mas voltei com novidades: data marcada, roteiro definido: Saída em 5 de abril com chegada em Miami onde ficamos 3 noites, depois mais 6 noites em Orlando e chegamos de volta ao Brasil em 15 de abril.

A expectativa está bem alta para essa viagem. Como PLANEJAMENTO é meu sobrenome (aham!), já estamos comprando o que é possível comprar antecipado. Aos poucos, vamos postando o roteiro, os passeios e as dicas de viagem (espero que com um pouco mais de frequência agora).

Bom carnaval a todos!

Categorias: Uncategorized | Tags: , , | Deixe um comentário

A moedinha número 1

Sobre o QUIZ de ontem, a moedinha número 1 do Tio Patinhas é de $ 0,10, ou seja, é a “Lucky Dime”. Parabéns Marcelo Rizzo! Como prêmio, vou te trazer um DIME pra ser a sua moedinha número 1, quem sabe se transforma numa fortuna como a do Tio Patinhas…

Aliás, o Tio Patinhas considera a moedinha número 1 como seu amuleto, creditando toda a sua fortuna e a sua caixa-forte cheia dos dólares à sorte obtida com ela. Aí aparece a Maga Patalógica querendo roubar a tal moedinha e então começam as altas aventuras, com ajuda do Professor Pardal, dos sobrinhos Huguinho, Zezinho e Luizinho e do Pato Donald (somente no Gibi). Saudades dos gibis do Tio Patinhas e dos desenhos dos Duck Tales – os caçadores de aventuras…

E também, pra quem, como eu, jogava Master System na infância, tinha um jogo sensacional chamado “The Lucky Dime Caper”. A Maga Patalógica causou, levou a moedinha número 1 e ainda prendeu os sobrinhos Huguinho, Zezinho e Luizinho. A meta do Pato Donald era resgatar os sobrinhos e depois sair à caça da moedinha número 1 do Tio Patinhas. Era um dos meus jogos prediletos!

Bom, agora que eu já fiz o meu post nostálgico. No próximo, eu volto a falar sobre a viagem!

Categorias: Curiosidades | Tags: , , , , , , , | Deixe um comentário

Call me MONEY!

Essa aula todo mundo tem no curso de inglês: as moedas de dólar tem NOME! Aí você estuda isso, decora tudo, e depois da prova do Intermediário 2, esquece tudo… (já que o objetivo, na adolescência, é pegar as letras das músicas em inglês e tirar no violão pra impressionar as gatinhas).

Aí depois você vai viajar pros EUA e fica sabendo que lá não tem essa de “arredondar”, nem essa de “balinha de troco”, se alguma coisa custa $5,10, você vai ter que dar 5 dólares e um DIME. Portanto, está aí a tabela para você (e eu) decorar, pra não passar vergonha na hora das compras….

Moedas e notas contemporâneas do dólar dos Estados Unidos
Unidade ($) Anverso Inverso Desenho no anverso Desenho no inverso
Moedas
0,01
Penny
United States penny, obverse, 2002.png United States penny, reverse.jpg Abraham Lincoln Lincoln Memorial
0,05
Nickel
United States nickel, obverse, 2005.jpg United States 2005 bison nickel, reverse.jpg Thomas Jefferson Desenho de um Bisão norte-americano
0,10
Dime
United States dime, obverse, 2002.jpg United States dime, reverse.jpg Franklin D. Roosevelt tocha, ramo de carvalhoramo de oliva
0,25
Quarter
United States quarter, obverse, 2004.jpg George Washington Designs de estados
0,50
Half-Dollar Coin
2005 Half Dollar Obv Unc P.png 2005 Half Dollar Rev Unc P.png John F. Kennedy Selo Presidencial
1,00
Dollar Coin
United States one dollar coin, reverse.jpg Sacagawea Águia calva em voo

Aliás, aqui vai o primeiro QUIZ desse blog: “Qual o valor da moedinha número 1 do Tio Patinhas?”

Resposta no próximo Post

Categorias: Dicas | Tags: , , , , , , | 1 Comentário

Dicas de compras – e muito mais!

Como eu já disse antes, a proposta deste blog é contar sobre a nossa experiência de viagem para a Flórida & everything related to.

Porém, esses dias eu encontrei o site Viaje Aqui, com dicas de compras (e muito mais) nos EUA. Aqui abaixo estou copiando um texto muito interessante sobre limite de compras no exterior, coisa importante a ser considerada já que, uma vez lá, será natural entrar na loucura das compras!

Amigos jornalistas, antes das críticas, peço meu direito de defesa: “Eu podia estar matando, eu podia estar roubando, mas estou aqui humildemente compartilhando um texto de utilidade pública e dando o devido crédito”.

Link do site Viaje Aqui – Dicas de Compras nos EUA e muito mais! Recomendo a leitura

Link da matéria original (essa que copiei abaixo)

Limite de compras no exterior

Quem viaja de avião para o exterior pode gastar, no máximo, US$ 500 em compras, sob pena de pagar multa de 50% sobre o valor excedente (por navio ou via terrestre, a cota de isenção cai para US$ 300). A parte boa é que, desde outubro de 2010, celulares, máquinas fotográficas, relógios, roupas, sapatos e cosméticos não precisam ser declarados. A Receita Federal classifica esses objetos como de uso pessoal e, por isso, não entram na cota de isenção. Em compensação, para qualquer item há um controle sobre o número de unidades (veja lista abaixo).

Anote aí:

  • A Declaração de Saída Temporária de Bens foi extinta. Esse documento era emitido antes do embarque, a pedido do turista, para comprovar que ele já era dono dos equipamentos importados levados na viagem. Era a melhor forma de prevenir eventuais confusões na alfândega – como o fiscal da Receita alegar que o produto fora comprado naquela temporada no exterior.
  • Para não correr o risco de pagar imposto por algo que você já tinha, leve a nota fiscal do equipamento.
  • Se você não tiver o comprovante, melhor deixar o eletrônico em casa; essa regra não se aplica a produtos nacionais.

Lista de produtos:

1. Câmera fotográfica e celular

Quantidade máxima: um por pessoa

Entra na cota dos US$ 500? Não. São considerados objetos de uso pessoal, não importa o modelo e o valor, se estiverem fora da embalagem e usados.

2. Lentes e outros equipamentos fotográficos

Quantidade máxima: depende do valor. Procure não trazer mais de 10 nem de marcas e tipos diferentes

Entra na cota dos US$ 500? Sim. A menos que você consiga provar que comprou para uso profissional durante a viagem.

3. Câmera filmadora

Quantidade máxima: duas por pessoa.

Entra na cota dos US$ 500? Sim. Porém, no caso de máquinas que filmam e fotografam, vale a regra da câmera fotográfica.

4. Notebook, videogame e outros eletrônicos

Quantidade máxima: um de cada tipo por pessoa.

Entra na cota dos US$ 500? Sim. Para proteger o mercado nacional, o Ministério da Fazenda não libera esses produtos.

5. Relógio

Quantidade máxima: três por pessoa.

Entra na cota dos US$ 500? Não. Faz parte dos produtos considerados de uso pessoal.

6. Roupa e sapato

Quantidade máxima: três de cada tipo/modelo.

Entra na cota dos US$ 500? Não. São considerados de uso pessoal, mas têm de ser condizentes com o passageiro e o tipo da viagem.

7. Bebida

Quantidade máxima: 12 litros do exterior mais 24 garrafas do Duty Free

Entra na cota dos US$ 500? Sim. Somente as compradas no Duty Free não são tributadas.

8. Cigarro

Quantidade máxima: dez maços do exterior, mais 20 maços do Duty Free.

Entra na cota dos US$ 500? Sim. Somente as comprados no Duty Free não são tributados.

9. Cosmético

Quantidade máxima: não há número oficial, mas o recomendável é trazer no máximo dez unidades de um mesmo produto.

Entra na cota dos US$ 500? Não. É considerado de uso pessoal. Só não exagere – do contrário, podem ser tributados.

Categorias: Compras, Dicas | Tags: , , , , , , | Deixe um comentário

The book is on the table

– Você fala inglês?

Sem dúvida, este é um assunto polêmico. Qual o conceito de “inglês fluente”? É o suficiente pra manter uma conversação com um gringo ou é o mínimo necessário para poder dar aula em curso de idiomas? Na boa, acho que tá mais próximo de ser uma mistura desse último com uma BOA DOSE de “Embromation Enrolation”.

Bom, além de ajudar você (ou zicar tudo)

numa entrevista de emprego, se você quiser ter uma experiência plena nos Estados Unidos, precisa conseguir se virar por lá na língua deles.

– Peraí, mas não tem milhares de brasileiros na Flórida? Qualquer coisa, se não entender o que o cara tá falando, eu dou um berro no meio da loja perguntando “Tem brasileiro aeeee? Me ajuda aquiii?

PELAMORDEDEUS, não trinca minha cara de vergonha… Antes de embarcar, trate de desenterrar aqueles livros da FISK, do curso que vc fazia na adolescência pra saber cantar as letras das músicas, vai…!

Ou melhor que isso (vai que vc já jogou todos aqueles livros fora, né…), tem muita informação na Internet (essa frase é manjada)

. É só procurar um pouquinho… Um site que eu curto bastante é o Englishtown. Lá você pode assinar uma newsletter com um aula diária de 5 minutos de graça. Na maioria dos casos, os temas são bem básicos, mas é bom pra desenferrujar e dar uma praticada.

Outro link interessante é esse de pronúncia. O desafio é completar o poema até o final…

Em último caso, se você, rapaz solteiro e garboso, estiver lá pros lados de Miami Beach, de olho nas menininhas e louco pra dar aquela impressionada, se liga na dica do Teacher Joel:

Pode to be?

PS: Estou com a proposta de negócio pronta para o “JOEL SANTANA ENGLISH INSTITUTE” . Investidores, tratar aqui.

Categorias: Idioma | Tags: , , , | 1 Comentário

Antes, do visto, o passaporte!

Bom, só pelo título do post, tá na cara que a proposta deste blog não é seguir uma “ordem lógica das coisas”. Falar de visto antes de falar de passaporte é quase como falar de cobertura e não falar do bolo…

Bom ,hoje em dia, não é complicado para tirar este documento: você consultar tudo o que precisa via Internet no Site da Polícia Federal. A partir daí, é fazer o agendamento, pagar a taxa (R$ 156,00 – correm boatos que essa taxa vai aumentar 20% em 2012) e comparecer lá no dia para tirar as digitais e a foto (portanto, vá bonito e cheiroso no dia). Depois, em uns 15 dias está pronto. O Passaporte é válido por 5 anos.

– OK, é só “comparecer lá”, mas onde é “lá”?

Isso foi uma das coisas que eu achei interessante em se tratando de Serviços Públicos no Brasil: para nossa comodidade, tem atendimento para emissão de passaportes em vários locais, pelo menos pra quem mora em SP. Sei que em SP e no RJ tem postos de emissão de passaporte em shoppings. Eu, por exemplo, tirei o meu no Shopping ABC, em Santo André.

Depois, uma vez em terras internacionais, manter o passaporte consigo e andar na linha reduzem sobremaneira o risco de ser deportado, ou de ir parar em Alcatraz, por exemplo. Talvez o saudoso Vicente Matheus diria que “o passaporte é um documento tão importante que deveria ficar amarrado na gente por uma coleira”.

Bom, é isso aí! Até mais!
Categorias: Dicas | Tags: , , | Deixe um comentário

Documentação = check!

Preparação de viagem para os EUA tem que incluir a obtenção do VISTO americano. Sem ele, nada feito.

De acordo com as estatísticas oficiais, em 2011 foram emitidos cerca de 1 milhão de vistos americanos no Brasil. Felizmente o meu foi um deles. Depois de estar com o passaporte em dia, agendei atendimento no site e, após 6 meses consegui ser atendido no Consulado: 1 manhã inteira perdida e MUITAS filas depois, fomos aprovados na tal da entrevista.

Sempre imaginei a entrevista do visto como um grande fantasma. Será que vou passar? Será que vão negar meu visto? Será que o cara vai ir com a minha cara? O que será que vai acontecer? Na prática, o negócio é o seguinte: siga todas as instruções à risca e leve TUDO o que comprove que você não vai querer ir para os EUA pra viver como um imigrante ilegal, ou seja, leve seus contra-cheques, declaração da empresa onde trabalha, documento do carro, imposto de renda, extrato bancário e TUDO o que você achar necessário para essa comprovação (dica: deixe a pastinha de documentos pronta com pelo menos 1 semana de antecedência, aí se você for lembrando de alguma coisa, pode só colocar lá dentro). Na hora, eles não pedem quase nada, mas vai que… Nessas horas é bom confiar no ditado “Seguro morreu de velho”.

Falando em visto, agora em janeiro/2012 vai rolar o primeiro “mutirão” do ano para emissão de vistos. É uma oportunidade interessante para antecipar o seu (segundo a matéria, ainda vão ter outros desse em 2012). Dá uma olhada na matéria. 

Mais informações no site oficial do consulado.

Boa sorte!

PS1: Eu disse Documentação = check, mas ainda tenho uma pendência: preciso renovar minha vacina da Febre Amarela… Depois eu conto mais sobre isso!

PS2: Eu disse: prepare a pastinha com 1 semana de antecedência. Pergunta se eu fiz isso? “Aham, senta lá Cláudia…”

Categorias: Dicas | Tags: , , , , | 3 Comentários

Blog no WordPress.com.