The book is on the table

– Você fala inglês?

Sem dúvida, este é um assunto polêmico. Qual o conceito de “inglês fluente”? É o suficiente pra manter uma conversação com um gringo ou é o mínimo necessário para poder dar aula em curso de idiomas? Na boa, acho que tá mais próximo de ser uma mistura desse último com uma BOA DOSE de “Embromation Enrolation”.

Bom, além de ajudar você (ou zicar tudo)

numa entrevista de emprego, se você quiser ter uma experiência plena nos Estados Unidos, precisa conseguir se virar por lá na língua deles.

– Peraí, mas não tem milhares de brasileiros na Flórida? Qualquer coisa, se não entender o que o cara tá falando, eu dou um berro no meio da loja perguntando “Tem brasileiro aeeee? Me ajuda aquiii?

PELAMORDEDEUS, não trinca minha cara de vergonha… Antes de embarcar, trate de desenterrar aqueles livros da FISK, do curso que vc fazia na adolescência pra saber cantar as letras das músicas, vai…!

Ou melhor que isso (vai que vc já jogou todos aqueles livros fora, né…), tem muita informação na Internet (essa frase é manjada)

. É só procurar um pouquinho… Um site que eu curto bastante é o Englishtown. Lá você pode assinar uma newsletter com um aula diária de 5 minutos de graça. Na maioria dos casos, os temas são bem básicos, mas é bom pra desenferrujar e dar uma praticada.

Outro link interessante é esse de pronúncia. O desafio é completar o poema até o final…

Em último caso, se você, rapaz solteiro e garboso, estiver lá pros lados de Miami Beach, de olho nas menininhas e louco pra dar aquela impressionada, se liga na dica do Teacher Joel:

Pode to be?

PS: Estou com a proposta de negócio pronta para o “JOEL SANTANA ENGLISH INSTITUTE” . Investidores, tratar aqui.

Anúncios
Categorias: Idioma | Tags: , , , | 1 Comentário

Navegação de Posts

Uma opinião sobre “The book is on the table

  1. Thais

    Bom, pelo menos na Disney, a maioria (se não todos) os restaurantes e lanchonetes possuem aquelas placas enormes com fotos de alimentos e seus respectivos números. Morrer de fome falando o básico do básico não dá para morrer não. Fui bem novinha (16 anos), com inglês intermediário, sozinha e achei bem fácil me virar. Nos hotéis o pessoal se esforça muito para entender o embromation e a maioria das pessoas que fazem o translado hotel-parques são latinos… E o portunhol, dá para arranhar?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: